Fale conosco pelo WhatsApp Siga-nos no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Twitter Siga-nos no Youtube

EM FOCO / CAIXA ECONÔMICA

Imprimir Notícia

Nada a comemorar nos 158 anos da Caixa Econômica Federal

14/01/2019 às 09:41
Ascom/SEEB-MA
A+
A-

Clique na foto para ampliá-la

A Caixa Econômica Federal completa 158 anos neste sábado (12/01). Porém, não há motivos para comemoração. Afinal, são diversos os ataques que colocam em risco o futuro do banco, que faz parte da vida e da história do povo brasileiro.

Apesar do lucro recorde de R$ 13 bilhões obtido em 2017, a Caixa demitiu mais de 1.000 funcionários no último mês, ao invés de realizar novas contratações por meio de concurso público. Uma verdadeira falta de respeito com esses trabalhadores que ajudaram a construir um banco forte, lucrativo e voltado para os interesses dos mais pobres!

O resultado dessas demissões não poderia ser outro: sobrecarga de trabalho, assédio moral e adoecimento dos bancários que permanecem nas agências, além do péssimo atendimento prestado à população, com unidades superlotadas e filas intermináveis.

O objetivo desse desmonte é claro: transmitir a falsa ideia de que a Caixa é ineficiente, a fim de convencer os brasileiros de que o banco precisa ser privatizado para melhorar seus serviços. Ledo engano.

Uma vez privatizada, a Caixa visará somente ao lucro e aos interesses do mercado, deixando de ser o banco de todo brasileiro e brasileira, do crédito fácil, da casa própria, do FGTS, da poupança, dos juros mais baixos e dos programas sociais indispensáveis para erradicar a pobreza e desenvolver o Brasil no âmbito econômico e social.

Lamentavelmente, é exatamente isso que o Governo Bolsonaro quer: enfraquecer e reduzir a importância da Caixa, acabando com a sua função histórica de atender às pessoas mais carentes.

A serviço do grande capital, o presidente já aumentou os juros para o financiamento da casa própria e anunciou que pretende fatiar a Caixa, ou seja, privatizá-la em partes, a começar pelas loterias e pelas áreas de cartões e seguros.

Para quem não sabe, as loterias contribuem diretamente com a seguridade social, cultura, segurança pública, educação, saúde e esporte dos brasileiros. Se forem entregues ao setor privado, todos esses investimentos serão perdidos e a grande prejudicada será a população.

Para o Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB-MA), quem apoia a privatização da Caixa não tem compromisso com o Brasil nem com o povo brasileiro.

Por isso, neste dia em que a Caixa completa 158 anos, os bancários maranhenses fazem um chamado à população e aos trabalhadores em geral para resistirem ao entreguismo do Governo Bolsonaro e às privatizações das estatais.

A categoria cobra, ainda, o fim do assédio moral, mais contratações, mais concursos e, sobretudo, uma Caixa 100% Pública, a serviço de toda a população brasileira! 

Deixe sua opinião sobre essa matéria:

Limite de caracteres (0 / 250)
SOBRE

Sindicato dos Bancários do Maranhão - SEEB/MA
Rua do Sol, 413/417, Centro – São Luís (MA)
E-mail: comunicacao@bancariosma.org.br
Telefones: (98) 3311-3500 / 3311-3516
CNPJ: 06.299.549/0001-05
CEP: 65020-590

MENU RÁPIDO

© SEEB-MA. Sindicato dos Bancários do Maranhão. Gestão Sindicato em Ação: a luta continua!