PLANTÃO / BRADESCO

Imprimir Notícia

Após aquisição do HSBC, lucro do Bradesco foi de R$ 3,236 bilhões

10/11/2016 às 10:19
Contec
A+
A-

O  lucro líquido contábil, que já considera os números do HSBC Brasil, foi de R$ 3,236 bilhões no terceiro trimestre, cifra 21,5% menor que a registrada em um ano, de R$ 4,120 bilhões. Em relação aos três meses imediatamente anteriores, foi identificada retração de 21,7%.

O  lucro líquido contábil, que já considera os números do HSBC Brasil, foi de R$ 3,236 bilhões no terceiro trimestre, cifra 21,5% menor que a registrada em um ano, de R$ 4,120 bilhões. Em relação aos três meses imediatamente anteriores, foi identificada retração de 21,7%.

O Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, considera que o resultado veio em linha com as estimativas do mercado quando a variação para cima ou para baixo é de até 5%.

O Bradesco destaca, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, que a partir de 1º de julho deste ano passou a consolidar as demonstrações contábeis do HSBC Brasil. No terceiro trimestre, o lucro do banco adquirido totalizou R$ 90 milhões.

O lucro líquido ajustado do Bradesco somou R$ 4,462 bilhões no terceiro trimestre, recuo de 1,6% ante um ano, de R$ 4,533 bilhões. Na comparação com o segundo trimestre, quando somou R$ 4,161 bilhões, foi identificada expansão de 7,2%. Considerando ajustes, o lucro líquido do HSBC totalizou R$ 148 milhões no terceiro trimestre.

O patrimônio líquido do Bradesco somou R$ 98,550 bilhões no terceiro trimestre, crescimento de 14,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, de R$ 86,233 bilhões. Em relação ao segundo trimestre, quando ficou em R$ 96,358 bilhões, avançou 2,3%. O retorno sobre o patrimônio líquido médio do banco (ROE, na sigla em inglês) ficou em 17,6% no terceiro trimestre contra 17,4% no segundo. Em um ano, entretanto, reduziu 3,1 pontos porcentuais.

Crédito. A carteira de crédito do Bradesco alcançou R$ 521,771 bilhões de julho a setembro, cifra 16,6% maior que a registrada nos três meses anteriores, de R$ 447,492 bilhões. Em um ano, quando somou R$ 474,488 bilhões, foi visto incremento de 10,0%. As operações de pessoas jurídicas cresceram 17,5% no comparativo trimestral e 6,5% em um ano, totalizando R$ 350,704 bilhões. Já o crédito para a pessoa física somou R$ 171,067 bilhões ao final de setembro, aumento de 14,9% em relação a junho e de 17,8% em 12 meses.

As modalidades crédito imobiliário e pessoal foram os destaques de alta na carteira de empréstimos de pessoa física do Bradesco no terceiro trimestre. Já na pessoa jurídica, os destaques foram capital de giro e crédito à exportação. Os números trazem a consolidação das carteiras de crédito do HSBC Brasil a partir de julho último.

Inadimplência. Considerando atrasos acima de 90 dias, a inadimplência encerrou setembro em 5,4%, 0,8 ponto porcentual acima do indicador visto ao final de junho, de 4,6%. Em um ano, quando o índice estava em 3,8%, o aumento chegou a 1,6 ponto porcentual."Desconsiderando o efeito da consolidação do HSBC Brasil, este índice seria de 5,2%", explica o banco, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras.

De acordo com o Bradesco, o aumento do índice de inadimplência no terceiro trimestre é reflexo da baixa demanda por crédito e pelo atraso de um cliente específico do segmento de grandes empresas. O banco não revela o nome, mas segundo analistas, seria a Sete Brasil, em recuperação judicial. Se excluído tanto o caso específico quanto o HSBC Brasil, o índice de inadimplência do Bradesco teria ficado em 4,87% no terceiro trimestre.

O Bradesco destaca, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, que a partir de 1º de julho deste ano passou a consolidar as demonstrações contábeis do HSBC Brasil. No terceiro trimestre, o lucro do banco adquirido totalizou R$ 90 milhões.

O lucro líquido ajustado do Bradesco somou R$ 4,462 bilhões no terceiro trimestre, recuo de 1,6% ante um ano, de R$ 4,533 bilhões. Na comparação com o segundo trimestre, quando somou R$ 4,161 bilhões, foi identificada expansão de 7,2%. Considerando ajustes, o lucro líquido do HSBC totalizou R$ 148 milhões no terceiro trimestre.

O patrimônio líquido do Bradesco somou R$ 98,550 bilhões no terceiro trimestre, crescimento de 14,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, de R$ 86,233 bilhões. Em relação ao segundo trimestre, quando ficou em R$ 96,358 bilhões, avançou 2,3%. O retorno sobre o patrimônio líquido médio do banco (ROE, na sigla em inglês) ficou em 17,6% no terceiro trimestre contra 17,4% no segundo. Em um ano, entretanto, reduziu 3,1 pontos porcentuais.

Crédito. A carteira de crédito do Bradesco alcançou R$ 521,771 bilhões de julho a setembro, cifra 16,6% maior que a registrada nos três meses anteriores, de R$ 447,492 bilhões. Em um ano, quando somou R$ 474,488 bilhões, foi visto incremento de 10,0%. As operações de pessoas jurídicas cresceram 17,5% no comparativo trimestral e 6,5% em um ano, totalizando R$ 350,704 bilhões. Já o crédito para a pessoa física somou R$ 171,067 bilhões ao final de setembro, aumento de 14,9% em relação a junho e de 17,8% em 12 meses.

As modalidades crédito imobiliário e pessoal foram os destaques de alta na carteira de empréstimos de pessoa física do Bradesco no terceiro trimestre. Já na pessoa jurídica, os destaques foram capital de giro e crédito à exportação. Os números trazem a consolidação das carteiras de crédito do HSBC Brasil a partir de julho último.

Inadimplência. Considerando atrasos acima de 90 dias, a inadimplência encerrou setembro em 5,4%, 0,8 ponto porcentual acima do indicador visto ao final de junho, de 4,6%. Em um ano, quando o índice estava em 3,8%, o aumento chegou a 1,6 ponto porcentual."Desconsiderando o efeito da consolidação do HSBC Brasil, este índice seria de 5,2%", explica o banco, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras.

De acordo com o Bradesco, o aumento do índice de inadimplência no terceiro trimestre é reflexo da baixa demanda por crédito e pelo atraso de um cliente específico do segmento de grandes empresas. O banco não revela o nome, mas segundo analistas, seria a Sete Brasil, em recuperação judicial. Se excluído tanto o caso específico quanto o HSBC Brasil, o índice de inadimplência do Bradesco teria ficado em 4,87% no terceiro trimestre.

Deixe sua opinião sobre essa matéria:

Limite de caracteres (0 / 250)
SOBRE

Sindicato dos Bancários do Maranhão - SEEB/MA
Rua do Sol, 413/417, Centro – São Luís (MA)
E-mail: comunicacao@bancariosma.org.br
Telefones: (98) 3311-3500 / 3311-3522
CNPJ: 06.299.549/0001-05
CEP: 65020-590

MENU RÁPIDO

© SEEB-MA. Sindicato dos Bancários do Maranhão. Gestão Mobilização, Unidade e Luta.