Fale conosco pelo WhatsApp Siga-nos no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Twitter Siga-nos no Youtube

EM FOCO / INTOLERÂNCIA

Imprimir Notícia

Basta de intolerância e lgbtfobia

É preciso entender que as escolhas amorosas não interferem nas competências dos trabalhadores.

12/06/2019 às 12:11
Ascom/SEEB-MA
A+
A-

Clique na foto para ampliá-la

No dia 22 de maio, o Senado aprovou o Projeto de Lei 672/2019, que visa incluir a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero na Lei de Racismo. Mesmo que essa mudança na legislação seja aprovada, o fim do tratamento discriminatório a pessoas LGBT, no Brasil, dependerá, sobretudo, de uma mudança de mentalidade da sociedade em relação a esse grupo social, vítima constante de ataques físicos e morais.

Em outras palavras, a lei não será suficiente para coibir a violência e o preconceito contra os LGBT, mas, sim, uma mudança comportamental da população no sentido de entender que a orientação sexual não define uma pessoa e que suas capacidades vão bem além de suas escolhas amorosas.

No setor bancário, por exemplo, apesar de medidas paliativas para promover o bem-estar dos empregados LGBT, como direitos iguais para casais heterossexuais e homossexuais, a igualdade de oportunidades está longe de existir. Para o SEEB-MA, ainda é necessário avançar muito para que a dignidade de todos seja respeitada e para que as pessoas LGBT possam trabalhar com tranquilidade nos bancos, livres de qualquer forma de discriminação por questões de gênero.

Um bom exemplo a ser seguido é o do Banco Citi, que possui uma postura inovadora no que diz respeito aos assuntos relacionados aos seus funcionários homossexuais, os quais, segundo a empresa, representam aproximadamente 3% do seu quadro de pessoal. Dentre as ações adotadas pelo banco, destacam-se seminários periódicos sobre diversidade e a disponibilização de canais para reclamações ocasionadas por discriminação dentro do ambiente de trabalho. O Citi possui, também, um código de conduta assinado na hora da admissão, onde o empregado se compromete, entre outras coisas, a não manifestar qualquer tipo de preconceito contra os demais colegas.

Ante o exposto, o SEEB-MA cobra dos bancos o combate a todo tipo de discriminação, intolerância e violência contra os bancários e, nesse contexto, especialmente aos LGBT, ressaltando que a capacidade desses trabalhadores dentro do mercado de trabalho e seus valores pessoais não são medidos por sua sexualidade ou gênero. É necessário, ainda, que além de uma legislação que discipline o tema, a maioria da sociedade reveja seus posicionamentos em relação aos LGBT, começando a entender que todas as pessoas merecem ter a sua dignidade e seus direitos individuais respeitados, de modo a construir um país livre, justo e solidário, onde se garanta o bem de todos, sem preconceitos e quaisquer formas de discriminação, objetivos fundamentais consagrados na Constituição da República do Brasil. 

SOBRE

Sindicato dos Bancários do Maranhão - SEEB/MA
Rua do Sol, 413/417, Centro – São Luís (MA)
E-mail: comunicacao@bancariosma.org.br
Telefones: (98) 3311-3500 / 3311-3516
CNPJ: 06.299.549/0001-05
CEP: 65020-590

MENU RÁPIDO

© SEEB-MA. Sindicato dos Bancários do Maranhão. Gestão Sindicato em Ação: a luta continua!