Fale conosco pelo WhatsApp Siga-nos no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Twitter Siga-nos no Youtube

EM FOCO / REPÚDIO

Imprimir Notícia

SEEB-MA cobra investigação contra Paulo Guedes no caso offshore

O escândalo protagonizado pelo Ministro da Economia, precisa ser investigado com rigor.

05/10/2021 às 12:52
Ascom/SEEB-MA
A+
A-

Clique na foto para ampliá-la

O SEEB-MA repudia com veemência o novo escândalo protagonizado pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes, que precisa ser investigado, com rigor, pela Câmara dos Deputados e pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por um provável conflito de interesses em sua atuação ministerial, como braço direito do Presidente da República.

Em julho, o “guru” de Bolsonaro defendeu e, logo em seguida, o relator do Projeto de Lei do Imposto de Renda retirou a regra que tributaria o lucro das pessoas que possuem recursos em paraísos fiscais, sob o pretexto de que o mercado financeiro não aceitaria tal mudança. Porém, o motivo real da retirada da regra veio à tona agora, em reportagens publicadas na revista Piauí e no Jornal El País. Na verdade, Guedes, a esposa e a filha possuem recursos em uma offshore (empresa estrangeira) nas Ilhas Virgens Britânicas (paraíso fiscal) no valor de US$ 9,55 milhões, aproveitando-se dessa isenção tributária para auferir lucros maiores, o que diminui a receita nacional com impostos, facilita a sonegação fiscal, agrava as contas públicas e amplia as desigualdades.

“Em outras palavras, Guedes, sua família e os mais riscos do país, estão lucrando muito com recursos sem tributação no exterior, com o dólar alto, o real desvalorizado e com os brasileiros passando fome. Já os trabalhadores, como os bancários, amargam um grande arrocho em seus salários e na PLR. Ele, como Ministro da Economia, não poderia manter investimentos que podem ser afetados por suas decisões como funcionário do alto escalão do Governo Bolsonaro. Isso se chama conflito de interesses e não pode ser admitido” – afirmou o diretor do SEEB-MA, Eloy Natan.

Enquanto isso, a falta de correção da tabela do Imposto de Renda pelo Governo Federal continua a corroer a renda dos trabalhadores assalariados, que sofrem com a alta carga tributária. “Enquanto os milhões de dólares de Guedes não são tributados, o trabalhador com renda mensal superior a R$ 1.903,98 já paga imposto de renda, o que é um absurdo! Se a tabela fosse corrigida progressivamente, somente trabalhadores com ganhos acima de R$ 4.022,89 pagariam IR. Já o percentual de 27% do imposto só incidiria para aqueles que ganhassem acima de R$ 9.996,73” – explicou Eloy.

Defasada desde 1996, a atual tabela faz com que os trabalhadores que ganham menos, continuem a pagar mais impostos e os que ganham mais sejam isentos, como é o caso de Guedes e sua offshore. “Nossa luta é por uma reforma tributária progressiva, que respeite a Constituição Federal, que taxe os mais ricos e suas grandes fortunas. Chega de injustiças com os trabalhadores. Queremos uma Reforma Tributária e, sobretudo, uma rígida investigação contra o Ministro Paulo Guedes, que é reincidente, pois já se beneficiou outra vez do seu cargo, quando o seu banco, o BTG Pactual, comprou R$ 3 bilhões de crédito do BB pela bagatela de R$ 300 mil. Chega de favorecimentos!” – finalizou. 

GALERIA
Fotos | 23/09/2021

Visitas às agências do Maranhão

SOBRE

Sindicato dos Bancários do Maranhão - SEEB/MA
Rua do Sol, 413/417, Centro – São Luís (MA)
E-mail: comunicacao@bancariosma.org.br
Telefones: (98) 3311-3500 / 3311-3516
CNPJ: 06.299.549/0001-05
CEP: 65020-590

MENU RÁPIDO

© SEEB-MA. Sindicato dos Bancários do Maranhão. Gestão Trabalho, Resistência e Luta: por nenhum direito a menos!