Fale conosco pelo WhatsApp Siga-nos no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Twitter Siga-nos no Youtube

DESTAQUE / ITAÚ

Imprimir Notícia

SEEB-MA esclarece pontos do PDV do Itaú

SEEB-MA orienta os bancários do Itaú a analisarem com bastante cuidado os termos para adesão ao PDV.

27/08/2019 às 08:23
Ascom/SEEB-MA
A+
A-

Clique na foto para ampliá-la

O SEEB-MA orienta os bancários do Itaú a analisarem com bastante cuidado os termos para adesão ao Programa de Demissão Voluntária (PVD) lançada pelo banco no início do mês.

Apesar do lucro de R$ 13,8 bilhões obtido somente no primeiro semestre deste ano, o Itaú quer demitir 6,9 mil empregados até o fim de agosto por meio do PDV.

O público prioritário do Programa são os integrantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) e os funcionários com idade superior a 55 anos, que se afastaram de suas atividades por causa de alguma doença do trabalho e que, hoje, gozam de estabilidade após terem recebido alta do INSS.

“Ou seja, o banco quer se livrar de trabalhadores mais experientes, com estabilidade e com histórico de doenças ocupacionais ocasionadas pela exploração a que são submetidos nas agências diariamente, oferecendo, ainda, incentivos financeiros rebaixados, que logo acabarão, podendo colocar em risco o futuro dessas pessoas, que terão dificuldades em encontrar um novo emprego nessa crise instalada no Brasil” – avaliou a diretora do SEEB-MA e bancária do Itaú, Gerlane Pimenta.

Em relação ao plano de saúde, o Itaú oferece duas opções a quem decidir aderir ao PDV. A diferença reside no valor da remuneração recebida pelo aderente e no período de manutenção do seguro médico-hospitalar, que começa a correr no mês imediatamente posterior ao da demissão.

Quem decidir pela primeira opção, terá direito a meio salário por ano trabalhado, que não poderá ultrapassar o valor de 6 salários, além da manutenção do plano de saúde por 5 anos.

Por sua vez, quem escolher a segunda opção, receberá meio salário por cada ano de trabalho, não podendo ultrapassar o teto de 10 salários, com a manutenção do seguro médico-hospitalar por apenas 2 anos.

“Em outras palavras, o trabalhador perderá o plano praticamente quando completar 60 anos, momento em que os custos com saúde aumentam sobremaneira, fazendo com que o trabalhador fique desassistido e, possivelmente, sem dinheiro para manter uma vida digna e saudável” – afirmou Gerlane.

Diante disso, o SEEB-MA reafirma que os bancários pensem bem antes de decidir aderir ao PDV. É o seu futuro que está em jogo! 

SOBRE

Sindicato dos Bancários do Maranhão - SEEB/MA
Rua do Sol, 413/417, Centro – São Luís (MA)
E-mail: comunicacao@bancariosma.org.br
Telefones: (98) 3311-3500 / 3311-3516
CNPJ: 06.299.549/0001-05
CEP: 65020-590

MENU RÁPIDO

© SEEB-MA. Sindicato dos Bancários do Maranhão. Gestão Sindicato em Ação: a luta continua!