Fale conosco pelo WhatsApp Siga-nos no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Twitter Siga-nos no Youtube

EM FOCO / BANCOS PRIVADOS

Imprimir Notícia

Bancário deve informar sintomas de doenças nos exames periódicos

Objetivo é reverter demissões nos bancos privados, que desligam os funcionários mesmo doentes.

07/01/2021 às 08:23
Ascom/SEEB-MA
A+
A-

Clique na foto para ampliá-la

Para frear as demissões imotivadas, o SEEB-MA orienta os bancários a buscarem ajuda médica. Há algum tempo, sabe-se que a categoria bancária é uma das mais atingidas pelas doenças ocupacionais por problemas psíquicos e/ou osteomusculares. A luta a ser travada agora é conscientizar você, bancário (a), a procurar um médico ao perceber os primeiros sintomas de adoecimento.

O problema é que são tantos áudios, vídeos, reuniões, e-mails e mensagens do banco – várias vezes ao dia – que acabam levando o trabalhador a enxergar somente as metas a serem cumpridas e a se esquecer da saúde. O resultado disso é que ao serem demitidos, os bancários percebem o quanto foram prejudicados.

Em razão das demissões ocorridas nos bancos privados motivadas por doenças ocupacionais, o SEEB-MA promoverá a campanha “BANCÁRIO: PROCURE UM MÉDICO, VOCÊ PODE ESTAR DOENTE". O objetivo é orientar a categoria a procurar ajuda enquanto se pode responsabilizar a empresa pelas doenças adquiridas no local de trabalho: o chamado “nexo causal”.

Diante disso, o diretor do SEEB-MA, Cássio Valdenor, faz um alerta: “todos os trabalhadores do ramo financeiro devem anotar, em seus exames periódicos, qualquer problema que estejam sentindo, comprovando essa alegação através de laudos, exames e receitas médicas, o que permitirá reverter eventual quadro demissional. Fique ligado" – orientou. 

ELEIÇÕES
SOBRE

Sindicato dos Bancários do Maranhão - SEEB/MA
Rua do Sol, 413/417, Centro – São Luís (MA)
E-mail: comunicacao@bancariosma.org.br
Telefones: (98) 3311-3500 / 3311-3516
CNPJ: 06.299.549/0001-05
CEP: 65020-590

MENU RÁPIDO

© SEEB-MA. Sindicato dos Bancários do Maranhão. Gestão Sindicato em Ação: a luta continua!