Fale conosco pelo WhatsApp Siga-nos no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Twitter Siga-nos no Youtube

DESTAQUE / BRADESCO

Imprimir Notícia

SEEB na luta contra demissões e fechamento de agências

Além de demitir, Bradesco anunciou que fechará mais de 1.100 agências no Brasil até o fim de 2020.

08/11/2020 às 10:40
Ascom/SEEB-MA
A+
A-

Clique na foto para ampliá-la

Como se não bastassem as demissões em massa, o Bradesco anunciou que fechará mais de 1.100 agências no país até o fim de 2020. Com isso, estima-se que milhares de pais e mães de família poderão ser demitidos nos próximos meses. Vale ressaltar que, em plena pandemia, o banco desligou 1.500 bancários no país, embora tenha se comprometido a não demitir durante a crise sanitária.

No Maranhão, as demissões ocorrem geralmente às sextas-feiras, o que levou os bancários a chamarem o dia de “Sexta-feira do Terror”. “Com o fechamento dessas agências e postos de trabalho, mais empregos serão extintos, o que aumentará a sobrecarga de trabalho, o assédio moral e o adoecimento da categoria, além da superlotação das agências e as filas, que prejudicarão o atendimento da população. É inadmissível esse terror imposto pelo Bradesco” – criticou o diretor Cláudio Costa.

Para o dirigente Edvaldo Castro, o Bradesco deveria contratar mais bancários ao invés de demitir, ainda mais diante do lucro de R$ 12,6 bilhões obtido pelo banco apenas nos primeiros nove meses do ano. “Apesar da intransigência do Bradesco, continuaremos a tomar todas as medidas cabíveis, a fim de combater essa reestruturação na rede de agências e essas demissões sumárias promovidas por essa instituição financeira, que só pensa no lucro em detrimento da vida das pessoas. A luta continua” – finalizou. 

SOBRE

Sindicato dos Bancários do Maranhão - SEEB/MA
Rua do Sol, 413/417, Centro – São Luís (MA)
E-mail: comunicacao@bancariosma.org.br
Telefones: (98) 3311-3500 / 3311-3516
CNPJ: 06.299.549/0001-05
CEP: 65020-590

MENU RÁPIDO

© SEEB-MA. Sindicato dos Bancários do Maranhão. Gestão Sindicato em Ação: a luta continua!